A vida em SP


(Foto da subida da serra- Caraguatatuba/SP)

Oi meus lindos ! Como prometido, vou explicar como vim parar em São Paulo. Como comentei no post anterior, deu tudo errado para eu ir para Minas.
A Mãe do João descobriu tudo e colocou ele de castigo. O pai dele quase expulsou ele de casa. Enfim, peguei o busão e vim para Sampa.


A viagem foi ótima… fiquei morrendo de medo de me perder na Rodoviária do Tietê. Chegando lá, liguei para minha tia e ela foi me dando os comandos de como chegar em Mauá.


As pessoas aqui são bem estranhas, dá até medo de pedir informação.

Peguei o metrô por volta das 18 horas, ou seja: no horário de pico.


Agora, imaginem a cena : Eu, com uma baita mochila nas costas e com uma mala de viagem querendo entrar no metrô. Para ajudar, desci na estação errada, mas depois consegui voltar para a certa.


Minha aventura estava apenas começando, ainda faltava pegar o trem com destino à Mauá. Para isso, pedi informações para uma moça, super simpática que agora eu esqueci o nome (acho que era Nancy). Ela trabalhava na capital, mora e faz faculdade em Santo André. Ela me ajudou a pegar o trem e nós fomos conversando o caminho todo. [Existem pessoas boas nessa São Paulo]

Cheguei na rodoviária de Mauá e minha prima estava me esperando.
Hoje é meu 4° dia aqui, ontem comecei a trabalhar numa lan house do bairro. Estou muito feliz!

Amanhã vou para a capital procurar emprego.
PS: Estou sem amigos aqui :/


(Foto do Busão para Boa Vista- Mauá SP)

Anúncios

Sobre Cléverton Santana

Jornalista e tuiteiro de plantão. Morou praticamente toda sua vida na praia mas seu coração sempre foi da selva de pedras. Fã de séries, cinema e teatro, sempre encontra tempo para ler algum livro. É eclético musicalmente, mas não vive sem Rita Lee, Queen e Legião Urbana.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para A vida em SP

  1. >Oie!Estou muito feliz e orgulhosa!Tenho uma mensagem para você:A crise segundo “Einstein” “Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar “superado”. Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais aos problemas do que as soluções. A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas e soluções fáceis. Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um. Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo. Em vez disso, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la” O mestre nunca se engana!Um abraço e boa sorte!

  2. Rick Galdino disse:

    >Sampa tem pessoas estranhas mesmo… Mas com o tempo a gente se acostuma. Amigos? Nós so começamos a conhecer as pessoas a medida que vamos nos conhecendo e nos situando nessa megalópole.bem vindo a sampa.PS: Mudei o link do teu blog lá no meu… add meu banner aqui?abs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s